Blog

Fique por dentro das novidades que acontecem no
mundo dos vinhos e destilados!

Cuidados na Videira: Enxertia
24 de janeiro de 2020

Cuidados na Videira: Enxertia

Conteúdo Técnico

Na época nebulosa da filoxera, século XIX, a enxertia foi o único método eficaz para garantir a proteção dos vinhedos a fim de que eles prosperassem. A técnica da enxertia consiste basicamente em unir duas espécies de videiras. Em contato com o solo deve ficar uma variedade americana (Vitis labrusca) ou híbrida, já que são resistentes à filoxera (pulgão que ataca as raízes da videira e abre espaço para ataque de outros microrganismos), os chamados porta-enxertos (PE). Na parte de cima, fica a espécie europeia (Vitis vinifera), que é extremamente suscetível à essa praga, conhecido como enxerto.

Ao longo do tempo e dos estudos percebeu-se que os PE não só protegem contra a filoxera como também podem beneficiar as videiras em outros aspectos. Na conferência Tasting Climate Change realizada em Montreal (Canadá), no fim de 2019, os PE apareceram como tema. Foram citados como opções concretas para abrandar as mudanças climáticas, podendo influenciar nos seguintes aspectos:

  • quebra da dormência e consequente início da brotação;
  • resistência às pragas;
  • vigor do crescimento de galhos e folhas;
  • eficiência no uso da água;
  • absorção de nutrientes;
  • produção de frutos.

Além disso, os PE podem ser agentes de influência da relação da planta com o pH do solo, exercer papel nas relações entre fungos que auxiliam na atividade microbiana no solo, entre outros fatores.

A atuação positiva do PE depende das características dele, da variedade enxertada e das condições locais, principalmente. Morgan Twain-Peterson, proprietário e enólogo da vinícola Bedrock (Califórnia), afirmou que um PE muito comum por lá, o St. George, retira muito nitrogênio e potássio do solo o que culmina em mudança não satisfatória no pH deste solo e dos vinhos. Daí é possível concluir que a seleção do PE é fundamental para influenciar na qualidade final do produto.

A enxertia também pode ser um caminho para cultivar novas castas, ou seja modificar variedades que não estão se desenvolvendo bem por outras com mais potencial (técnica chamada sobre-enxertia). Ao lançar mão dessa prática, o produtor preserva toda a infraestrutura da videira, principalmente o sistema radicular já bem estabelecido. É uma forma de realizar uma mudança rápida para uma variedade ou um clone melhor, sem depender de esperar, geralmente, os 3 anos para iniciar a produção (tempo estimado para realizar a primeira colheita quando se começa o cultivo do “zero”). Já na primeira safra é possível obter bons rendimentos, segundo o artigo de Tony Hoare, publicado no site barossa.com.

Para a videira prosperar bem quando submetida à enxertia, depende da habilidade de quem conduz o processo e do gerenciamento de perto da evolução da vinha. É um custo alto envolvido, porém aprovado e utilizado pela maioria dos produtores do mundo, além de extremamente necessário.

 

+
6 de agosto de 2019

Agenda de Eventos: Agosto

Confiram a agenda de eventos de agosto:   1.      Nome: Feira: Wines Of Chile (participação Eno) Data: 06/08 – Terça Local: Avenida Raja Gabáglia, 2671 – Belo Horizonte Valor: R$80,00 Informações: https://winesofchilebrasil.com/atividades/wines-of-chile-on-the-road-2019-bh/ Release: Além da degustação livre de aproximadamente 70 rótulos entre vinícolas conhecidas, você poderá participar de “tours” guiados por especialistas da Eno Cultura […]

continuar lendo
+
Umami enocultura 486x270 - Umami
4 de outubro de 2017

Umami

Você sabe o que é o Umami? Umami é o nome dado ao quinto sabor básico, descoberto pelo pesquisador japonês Kikunae Ikeda no ano de 1908. A origem da palavra umami é japonesa e significa “delicioso e apetitoso”. Ele complementa os outros quatro gostos básicos do paladar humano: amargo, doce, azedo, salgado. Do que o […]

continuar lendo
Assine nossa newsletter e fique por dentro das nossas novidades

Eno Cultura - Todos os direitos reservados © 2018